Saponificação



Antes de iniciar essa prática, algumas leituras são sugeridas:

Introdução aos lipídios

1. Objetivos

          - pesquisar a presença de ligações do tipo éster nas moléculas dos óleos e gorduras;
          - conhecer a reação de produção de sabão partir dos óleos e gorduras;
          - pesquisar o comportamento dos sabões em soluções aquosas contendo ou não óleos e gorduras;
          - reconhecer as características de uma emulsão e sua importância na produção de alimentos.

2. Princípios teóricos

          Dentre os lípides mais abundantes na natureza encontramos os óleos e as gorduras. Como vimos, essas substâncias são formadas a partir da associação de uma molécula de glicerol com três unidades de ácidos graxos (AG). Por esse motivo, os óleos e as gorduras são ésteres de glicerol ou, ainda, triglicerídeos (TG) e triacilglicerídeos. Lembrou?? Não?? Então clique aqui para visualizar um exemplo.
          Se os triglicerídeos são formados por ácido graxos, é fácil concluir que o processo inverso, a hidrólise, de um TG origina uma mistura de ácidos graxos. A hidrólise do óleo de soja, por exemplo fornece uma msitura de diferentes ácidos graxos:

ÁCIDO GRAXO
%
ácido mirístico
0,1
ácido palmítico
10,5
ácido esteárico
3,2
ácido oléico
22,3
ácido linoléico
54,5
ácido linolênico
8,3
ácido araquídico
0,2
ácido eicosanóico
0,9

          Uma maneira de conseguir a "quebra" da molécula do TG em seus ácidos graxos é através do traatamento com soluções alcalinas concentradas a quente. Essa reação tem como resultado a liberação do glicerol e formação de sais de ácidos graxos, originados pela incorporação do sódio à molécula de ácido graxo. Esses sais são os SABÕES e a reação, que é denominada SAPONIFICAÇÃO,é a via de fabricação dos sabões encontrados comercialmente. Veja um exemplo de sabão que pode ser formado a partir da hidrólise do tripalmitil-glicerol, um dos constituintes do óleo de soja:


          
          O exemplo acima demonstra a formação de um sal de sódio. Os sabões constituídos por sais de sódio (Na+) e de potássio (K+) são solúveis. Em contrapartida, os sais de cálcio (Ca2+) e magnésio (Mg2+), formados a partir da reação do lipídeo com Ca(OH)2 e Mg(OH)2, respectivamente, são insolúveis e precipitam. A precipitação é muito útil no processo de purificação dos sabões e também pode ser feita por adição de ácido forte (como o HCl) ou NaCl.

Qual é a importância dos sabões para a nossa vida diária??

          Se observarmos bem molécula de uma sabão, veremos que ela é constituída por duas porções que apresentam características distintas:

          Por ser formada por íons, a extremidade carboxílica do sabão é altamente polar e, por esse motivo, tende a se dissolver em água. Podemos dizer que essa porção da molécula possui caráter hidrofílico (que significa ávido por água). Em contrapartida, a longa cadeia carbônica (a unidade -CH2 se repete 14 vezes!!!) apresenta acentuado caráter apolar, sendo denominada porção hidrofóbica da molécula (hidrofóbico significa "avesso" à água). A essas moléculas, que apresentam caráter hidrofílico e hidrofóbico, polar e apolar, ao mesmo tempo, dá-se o nome de anfóteras. Elas podem ser representadas da seguinte forma:

          Quando um sabão entra em contato com a água, as porções hidrofóbicas de suas moléculas assumem uma conformação que as protege do contato com as moléculas de água (altamente polares). A essa conformação dá-se o nome de MICELA.
          As moléculas que apresentam caráter anfótero, então, podem interagir simultaneamente com a água e com substâncias de caráter hidrofóbico, como as gorduras e os óleos.

PARA PENSAR: Com a ajuda das moléculas anfóteras, é possível unir água e óleo numa mistura homogênea??

3. Procedimento Experimental

          3.1. Material

          Parte I: Reação de Saponificação

        a) Reagentes e soluções

        - óleo de soja
        - solução alcoólica de NaOH 10% *

        - água destilada

  b) Vidraria e instrumental
          
- béquer de 50 mL
- pipeta de 2 mL
- pipeta de 10 mL
- proveta de 25 mL  
* Preparo da solução alcoólica de NaOH a 10%: dissolver 100g de NaOH em uma quantidade mínima de água destilada. Em seguida, adicionar etanol (CH3CH2OH) 95% até completar o volume de 100ml.

          Parte II: Formação de sabão insolúvel

       a) Reagentes e soluções

          -
solução de sabão preparada na parte I
          - solução de cloreto de sódio 35% (NaCl 35%)
          - solução de cloreto de cálcio 10% (CaCl2 10%)
          - ácido clorídrico 0,1N (HCl 0,1N)

 

 b) Vidraria e instrumental

- 03 tubos de ensaio
- pipeta de 2 mL

- conta-gotas ou pipeta Pasteur

 

          Parte III: Estabilização de uma emulsão

       a) Reagentes e soluções

       
- óleo de soja
       - solução de sabão preparada na parte I
       - água destilada

 

 b) Vidraria e instrumental

- 02 tubos de ensaio
- pipeta de 1 mL
- pipeta de 10 mL

 

     b) Procedimento

          Parte I: Reação de Saponificação

          1. Colocar,em um béquer de aproximadamente 70ml, 2 ml de óleo de soja;
          2. adicionar 10 ml da solução de NaOH 10%;
          3. aquecer em banho a 80oC até que a fase líquida desapareça e seja formada uma camada levemente endurecida;
          4. acrescentar 20ml de água destilada e agitar até a completa dissolução do sabão (talvez seja preciso aquecer levemente a mistura).
          5. observe e anote os resultados.

          Parte II: Formação de sabão insolúvel

          1. Numerar três tubos de ensaio e proceder de acordo com a tabela abaixo:

TUBO 1
TUBO 2
TUBO 3
solução de sabão*
2 ml
2 ml
2 ml
solução de NaCl
5 gotas
-
-
solução de HCl
-
5 gotas
-
solução de CaCl2
-
-
5 gotas
          
           * Se necessário, leve a mistura (sabão) obtida na parte I novamente ao banho-maria para dissolução.

          2. misturar por agitação e deixar em repouso por alguns minutos;
          3. observe os resultados.

          Parte III: Estabilização de uma emulsão

          1. Numerar dois tubos de ensaio e proceder de acordo com a tabela abaixo:

TUBO 1
TUBO 2
óleo de soja
0,5 ml
0,5 ml
água destilada
10 ml
-
solução de sabão
-
10 ml

          2. agitar vigorosamente os tubos por inversão;
          3. observe os resultados imediatamente;
          4. deixar em repouso por 10 minutos e anotar os resultados.

Veja as fotos desse experimento

          
           Como vimos, a saponificação baseia-se na adição de uma base forte ao sistema contendo os triglicerídeos. Assim, se pudermos determinar a quantidade de base necessária para saponificar todo o conteúdo lipídico de uma amostra (o que pode ser feito através da simples titulação com um ácido), teremos o chamado Índice de Saponificação (I.S). Esse índice é definido como a massa de base necessária para saponificar 1g de óleo, e é muito útil na caracterização do óleo ou gordura.

 
 
Home
Aspectos teóricos
Atividades Experimentais
Bibliografia
 
Contato